Aeronaves devem evitar região da Crimeia, diz agência

As aeronaves devem evitar o espaço aéreo da Crimeia por conta dos riscos envolvendo a gestão do tráfego na região, informou a Agência Europeia para Segurança da Aviação (EASA, na sigla em inglês) nesta quinta-feira.

AE, Agência Estado

03 de abril de 2014 | 11h57

Em um comunicado, a agência recomenda "firmemente às autoridades nacionais de aviação dos Estados-membros que todos os operadores de aeronaves estejam conscientes de que o espaço aéreo da Crimeia deve ser evitado, utilizando as rotas alternativas disponíveis".

A área que, segundo a agência, apresenta riscos é o espaço aéreo controlado pelo centro de informação de voo em Simferopol. "Não se está seguro quando mais de um provedor de serviços de tráfego aéreo está a cargo de uma única Região de Informação de Voo. Sendo assim, nenhum acordo pode ser feito com a segurança dos passageiros", escreveu na nota o diretor executivo da EASA, Patrick Ky.

A decisão da Agência de emitir esse alerta foi tomada depois das autoridades russas informarem que irão assumir a supervisão e a prestação de serviços de tráfego aéreo da região de Simferopol, antes de responsabilidade da Ucrânia. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Crimeiaaviação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.