Aeroporto de Buenos Aires reforça segurança com ameaça de bomba

Algumas horas depois do primeiro ataque à Bagdá, no Iraque, as companhias aéreas American Arlines e United Arlines, no aeroporto argentino de Ezeiza, receberam telefonemas de ameaças de bomba. No total, de acordo com as TVs argentinas, foram cinco ligações ameaçadoras para este aeroporto, onde a segurança está reforçada desde ontem. Logo cedo, a embaixada dos Estados Unidos na Argentina divulgou comunicado, informando que não atenderá ao público hoje. Ali, o policiamento também foi reforçado. No balneário de Mar del Plata, a 400 quilômetros da capital, o consulado da Espanha amanheceu com marcas de bala e decidiu não abrir suas portas. O governo argentino considera o país vulnerável aos atentados terroristas porque nos anos noventa foi alvo de duas explosões, contra a embaixada de Israel e a Associação Mutual Israelense Argentina (Amia). Os atentados deixaram mais de 100 mortos. Esses atos terroristas levaram o governo a declarar estado de alerta, com a presença das Forças Armadas, da Polícia Federal e da Gendarmeria (polícia do interior) nos aeroportos, embaixadas, representações israelenses e fronteiras.Veja o especial :

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.