Aeroportos dos EUA em alerta

Terroristas podem estar testando controle de bagagem

NYT, AP e Reuters, Washington, O Estadao de S.Paulo

07 Julho 2026 | 00h00

A agência americana responsável pela segurança nos transportes do país alertou as autoridades dos Estados Unidos para o risco de terroristas estarem realizando testes para verificar a segurança dos aeroportos do país. De acordo com relatório divulgado no dia 20 pela Administração de Segurança no Transporte (TSA, na sigla em inglês) e divulgado na terça-feira pela emissora de TV NBC, o objetivo seria checar a possibilidade de conseguir embarcar com bombas nos aviões para realizar ataques terroristas. O boletim lembra que os autores dos atentados de 11 de Setembro de 2001 realizaram testes semelhantes antes dos ataques.No documento, a TSA relata quatro incidentes no ano passado no qual agentes de segurança encontraram nas bagagens dos passageiros itens que poderiam imitar componentes de bombas. Objetos como pedaços de arame, peças de telefone celular e canos de metal foram confiscados nos aeroportos de San Diego, Milwaukee, Houston e Baltimore. Segundo a TSA, os passageiros que tiveram seus pertences suspeitos apreendidos foram investigados, mas averiguações preliminares não descobriram vínculos entre os passageiros e organizações criminosas ou terroristas. No entanto, alguns dos casos ainda estão sob investigação.A TSA confirmou a autenticidade do relatório em nota publicada em seu site, mas minimizou a importância do documento, ressaltando que o alerta é rotineiro e não deve causar pânico na população. "Não há uma ameaça específica, então não entrem em pânico. Nós fazemos esse tipo de relatório sempre", afirmou a porta-voz da agência, Ellen Howe.NOVA LEI ANTITERRORISMOO Congresso americano está próximo de aprovar uma nova legislação antiterrorismo. A proposta - que vai para votação semana que vem - exige que as verbas concedidas pela segurança nacional a Estados sob ameaça terrorista sejam baseadas no risco real, e não em critérios políticos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.