Aeroportos estão sob alerta após ameaças no Paquistão

Telefonema avisa de ataque de homem-bomba no terminal de Islamabad dias após atentado contra hotel

Agências internacionais,

25 de setembro de 2008 | 07h33

 Autoridades reforçaram a segurança do aeroporto internacional de Islamabad nesta quinta-feira, 25, depois de um telefonema com a ameaça de que um homem-bomba atacaria o local. O país está sob alerta desde o grande atentado do último fim de semana, quando um caminhão-bomba explodiu na frente do Marriott Hotel, matando 53 pessoas.  Os vôos não foram afetados e depois de mais de uma hora da chamada telefônica, nenhum incidente foi registrado, segundo afirmou o oficial de segurança do aeroporto, Ashraf Faiz. "Foi uma ameaça específica", "o aeroporto está sob alerta vermelho", afirmou. Um grupo militante pouco conhecido assumiu a autoria do ataque no Marriott - hotel bastante freqüentado por estrangeiros e jornalistas - e ameaçou promover mais ataques se as forças paquistanesas não parassem de cooperar com os Estados Unidos na luta contra o terrorismo. O atentado e as novas ameaças ressaltam o perigo que os militantes representam para o Paquistão, onde os insurgentes da Al-Qaeda e do Taleban estabilizaram suas bases nas regiões tribais ao longo da fronteira com o Afeganistão. Uma nova onda de violência tomou conta do Paquistão após a explosão de sábado. No Vale de Swat, no noroeste, um suicida lançou um carro-bomba contra um quartel em na localidade de Madyan, matando nove agentes de segurança. Em Peshawar, um grupo armado seqüestrou o embaixador afegão e matou seu motorista.  Vistos americanos A Embaixada americana em Islamabad decidiu suspender de forma indefinida o serviço de vistos no Paquistão, e recomendou que seus cidadãos não viagem ao país após o ataque suicida contra o hotel Marriott; O porta-voz Lou Fintor, citado pelas televisões locais, explicou que apenas as solicitações de visto recebidas até esta quinta serão tramitadas. Além disso, a Embaixada dos EUA aconselha seus cidadãos a não permanecer no Paquistão inutilmente.A decisão da legação americana se soma à tomada anteriormente pela Embaixada do Reino Unido. A companhia aérea britânica British Airways, que operava diariamente no Paquistão, anunciou na segunda-feira passada que suspenderia todos os seus vôos ao país asiático.

Tudo o que sabemos sobre:
Paquistãoterrorismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.