Afeganistão adia votação presidencial

O Afeganistão adiará sua eleição presidencial até 20 de agosto, quatro meses mais tarde do que o especificado na Constituição, para dar mais tempo às forças americanas para estabilizar as regiões mais violentas do país, informou a Comissão Eleitoral.Deputados da oposição condenaram o adiamento e disseram que não reconhecerão Hamid Karzai como presidente após 22 de maio - seu último dia no cargo, segundo a Constituição. O Parlamento debaterá a questão amanhã. Segundo a Carta, a eleição deve ser realizada entre 30 e 60 dias antes de 22 de maio. Mas Azizukkah Lodin, chefe da Comissão Eleitoral, disse que não há segurança suficiente para realizar a votação. Karzai concorrerá a um segundo mandato de cinco anos. Zalmay Khalizad, ex-embaixador dos EUA na ONU, é tido como um de seus principais adversários. Membros da equipe do presidente Barack Obama indicaram que Karzai se tornou um estorvo para os interesses americanos no Afeganistão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.