Afeganistão chega a 10 mortos por dois ataques suicidas

Pelo menos oito pessoas morreram e dezenas ficaram feridas em um ataque suicida com carro-bomba, hoje, na cidade de Cabul. A explosão ocorreu perto da casa de Ahmad Zia Massoud, ex-vice-presidente afegão, e de um hotel bastante frequentado por estrangeiros ocidentais, embora o alvo do ataque ainda não esteja claro.

AE-AP, Agencia Estado

15 de dezembro de 2009 | 14h48

Em outro episódio de violência ocorrido no Afeganistão hoje, dois soldados afegãos morreram em um ataque suicida contra uma patrulha militar em Helmand, província do sul do país.

Fontes nos serviços afegãos suspeitam que o militante suicida de Cabul pretendia atacar a residência de Zia Massoud, que é irmão de Ahmad Shah Massoud, um senhor da guerra famoso por combater o Taleban. Shah Massoud foi morto pela milícia fundamentalista islâmica dois dias antes dos ataques de 11 de setembro de 2001 contra os Estados Unidos.

"É claro que éramos o alvo", disse Shah Asmar, um assessor de Zia Massoud. "Primeiro, o Taleban matou Shah Massoud; agora tenta matar o irmão dele."

Durante discurso em uma conferência sobre corrupção, o presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, disse que dois seguranças de Massoud estavam entre os mortos. O hotel sofreu poucos danos materiais, mas três casas próximas foram severamente atingidas.

Zemeri Bashary, porta-voz do Ministério de Interior do Afeganistão, disse que quatro homens e quatro mulheres morreram, além do militantes suicida, e cerca de 40 pessoas ficaram feridas. Mais tarde, por meio de nota, Karzai denunciou o atentado e ordenou às autoridades competentes que encontrem os responsáveis.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.