Afeganistão deve apresentar projeto de constituição

O Afeganistão vai divulgar nesta semana um projeto de constituição, que declara o país um estado muçulmano mas não chega a impor a lei islâmica, que vigorava no país durante os anos de governo Taleban. A informação é de uma fonte do governo afegão. O projeto que será apresentado é fruto de 11 meses de discussões entre juristas e três meses de consultas públicas em que cerca de 150 mil pessoas deram sugestões. A sharia, lei muçulmana cuja versão radical levou o Afeganistão a proibir mulheres de trabalhar e meninas de ir para a escola, está no centro do debate sobre a nova constituição. A fonte ouvida pela Associated Press garantiu que a sharia foi rejeitada pelos juristas que formularam o projeto. A divulgação do projeto de constituição não significa que ela será promulgada em breve. A reunião em que o grande conselho afegão, que reúne 500 autoridades, vai discutir o projeto e ratificá-lo ou não, foi adiada para dezembro. O motivo é que o presidente Hamid Karzai pediu mais tempo para estudar o documento. O Afeganistão tem suas primeiras eleições livres em décadas marcadas para junho do ano que vem. Espera-se que as eleições representem um período de estabilidade política no país depois de 23 anos de guerra.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.