Afeganistão diz que ataque da Otan matou 62 civis

Incidente ocorrido no domingo vitimou mulheres e crianças; Otan não comentou o caso

AE, Agência Estado

24 de fevereiro de 2011 | 13h15

KUNAR - Um recente ataque aéreo da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) num vale do leste do Afeganistão matou pelo menos 62 civis, dentre eles mulheres e crianças, afirmou nesta quinta-feira, 24, um investigador do governo afegão.

No domingo, o presidente afegão Hamid Karzai acusou a Otan de ter matado mais de 50 civis na problemática província de Kunar e enviou um grupo para investigar as mortes. "Após três dias de investigações, descobrimos que 62 civis, dentre eles mulheres e crianças, foram mortos e que outras dez pessoas ficaram feridas na operação da Otan", disse o chefe da investigação, Shahzada Massoud, que é conselheiro de Karzai.

Ele não esclareceu se algum insurgente foi morto, mas um integrante da equipe de investigação, Shahzada Shahid, revelou à agência France Presse que 14 militantes do Taleban também morreram, além dos 62 civis.

Um porta-voz da Força Internacional de Assistência para Segurança (Isaf, na sigla em inglês), que é ligada à Otan, recusou-se a comentar as descobertas do governo afegão antes da conclusão das investigações do grupo.

Karzai disse que tais incidentes prejudicam o apoio a seu governo, que enfrenta uma insurgência islâmica que se expande a cada ano desde que o Taleban foi derrubado do governo, no final de 2001. Há cerca de 140 mil soldados estrangeiros no Afeganistão, a grande maioria norte-americanos, enviados para o país para ajudar Cabul a combater o Taleban. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
AfeganistãoOtanmortescivis

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.