Afeganistão diz que segurança está pronta para eleição

O porta-voz do Ministério do Interior do Afeganistão, Sediq Sediqi, disse que as forças de segurança do país estão preparadas para a eleição presidencial de abril do ano que vem, apesar de cinco distritos permanecerem marcados por levantes de rebeldes.

AE, Agência Estado

29 de julho de 2013 | 10h00

A votação será um teste crucial para a habilidade do Afeganistão em realizar uma transição de poder tranquila, antes das retirada das forças estrangeiras no final de 2014.

Sediq Sediqi disse a repórteres nesta segunda-feira que planos foram preparados para garantir a segurança dos 6.845 pontos de votação em todas as 34 províncias. Ele afirmou que os planos também devem incluir a segurança dos mais de 400 postos de registros eleitorais. Quatro milhões de novos eleitores deve ser incluídos aos 16 milhões de pessoas que já estão devidamente registrados. O Afeganistão tem uma população de cerca de 30 milhões de habitantes.

Contudo, Sediqi disse que as autoridades ainda não possuem controle total de cinco distritos no país por causa dos levantes rebeldes.

As ofensivas mais recentes ocorreram na noite de domingo e na manhã de segunda-feira, quando 14 pessoas foram mortas após explosões.

O primeiro incidente ocorreu na província de Zabul no domingo à noite e matou 11 pessoas. O vice-governador da província, Mohammad Jahn Rasoulyar, disse que três dos mortos eram policiais e os outros eram mulheres e crianças. A autoridade não deu mais detalhes.

A segunda explosão aconteceu já na segunda-feira pela manhã na província de Kandahar. Três pessoas foram mortas, uma mulher e seus dois filhos. O escritório do presidente Hamid Karzai condenou os ataques nesta segunda-feira.

O Ministério de Defesa afegão disse que 83 insurgentes foram mortos durante uma operação que durou uma semana no leste do país. A ação terminou nesta segunda-feira. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
afeganistãoeleição

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.