Afeganistão e Iraque alimentam onda de refugiados no mundo--ONU

Os conflitos no Iraque e noAfeganistão fizeram aumentar pelo segundo ano consecutivo, em2007, o número mundial de refugiados, afirmou na terça-feira aOrganização das Nações Unidas (ONU). O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados(Acnur) disse que, no final do ano passado, havia 11,4 milhõesde refugiados sob sua responsabilidade, uma cifra maior do queos 9,9 milhões registrados um ano antes. "Grande parte do aumento no número de refugiados em 2007deveu-se à situação instável do Iraque", disse o Acnur em umrelatório, observando que os iraquianos e afegão representavamquase metade dos refugiados colocados sob os cuidados daentidade. O número de pessoas expulsas de suas casas por conflitos --entre as quais as que não saíram de seus próprios países e, porisso, não são consideradas refugiados em sentido estrito --elevou-se de 24,4 milhões para 26 milhões, afirmou o Acnur,citando dados para 2007 do Centro de Monitoração sobre oDeslocamento Interno. "Agora, temos dois anos de aumento, e isso é um motivo depreocupação", afirmou Antonio Guterres, chefe da agência, cujasede fica em Genebra. Segundo Guterres, os conflitos ocorridos no Iraque, noAfeganistão e em outros lugares, bem como as pressõesambientais e a miséria decorrente da alta do preço dosalimentos contribuíam para inchar ainda mais o número derefugiados, cifra essa que havia diminuído entre 2001 e 2005. "Hoje nos deparamos com uma mistura complexa de desafiosglobais que poderiam provocar um número ainda maior dedeslocamentos forçados", disse. O Acnur calcula que há 3 milhões de afegãos vivendo fora deseu país natal, a maior parte deles no Paquistão e no Irã, eoutros 2 milhões de iraquianos no exterior, principalmente naSíria e na Jordânia. Conflitos armados e violações graves dos direitos humanosna República Centro-Africana, na República Democrática doCongo, na Somália e no Sudão também fizeram surgir refugiadosem 2007, ao passo que muitas pessoas foram repatriadas para oSudão, a Libéria e o Burundi no mesmo período. A Colômbia registrou ainda um grande número de pessoasexpulsas de suas casas no ano passado. O Acnur disse que o Paquistão era o país que mais recebiarefugiados no mundo, e isso em especial por causa de suaproximidade do Afeganistão, onde combatentes do Taliban vêmtravando uma guerra contra as forças da coalizão liderada pelosEUA e que os tirou do poder em 2001. A Síria, o Irã, a Alemanha e a Jordânia eram os próximos nalista dos países que mais recebem refugiados, seguidos pelaTanzânia, pela China, pela Grã-Bretanha, pelo Chade e pelosEUA, disse o relatório.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.