Afeganistão e Paquistão propõem diálogo com o Taleban

A porta está aberta, disseram líderes políticos e tribais dos dois países em reunião em Islamabad

28 de outubro de 2008 | 11h23

Líderes políticos e tribais do Afeganistão e do Paquistão prometeram nesta terça-feira, 28, em Islamabad procurar o diálogo com insurgentes do Taleban. Segundo eles, a porta para o diálogo está aberta. A declaração faz parte de um esforço dos dois países para que o grupo radical islâmico entregue as armas e aceite as leis. "Concordamos que os contatos devem ser estabelecidos. Os que estiverem dispostos a aproveitar a oportunidade serão bem-vindos", disse o chanceler Abdullah Abdullah, chefe da delegação afegã. De acordo com ele, a reunião - chamada de Jirga - formou comitês para entrar em contato com as partes do conflito, que devem apresentar resultados em dois meses. A violência nos dois países aumentou dramaticamente desde que os Estados Unidos derrubaram o regime Taleban no Afeganistão em 2001. Muitos militantes fugiram para a região fronteiriça com o Paquistão, onde estabeleceram bases. Dali eles têm lançado ataques com sucesso contra tropas da Otan e forças de segurança regionais. O governo afegão procura conversas com a liderança Taleban. De acordo com um ex-embaixador do grupo no Paquistão, os dois lados se encontraram recentemente na Arábia Saudita. O governo paquistanês também prepara negocia com os fundamentalistas. Os EUA, que pretendem aumentar sua presença militar no país, minimizaram a importância da reunião, mas manifestaram apoio à reconciliação com grupos que abram mão da violência.

Tudo o que sabemos sobre:
paquistãoafeganistãotalebandiálogo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.