Afeganistão executa 15 com pelotão de fuzilamento

Esta é a primeira vez que o governo aplica a pena de morte após a derrubada do Taleban em 2001

Associated Press e Agência Estado,

08 de outubro de 2007 | 14h45

O Afeganistão executou com pelotão de fuzilamento 15 prisioneiros numa grande prisão nos arredores de Cabul, a primeira execução em mais de três anos no país, informou o chefe das prisões nesta segunda-feira, 8.   A execução em massa ocorreu na noite de domingo de acordo com a lei afegã, que determina que os condenados sejam mortos por um pelotão de fuzilamento, explicou Abdul Salam Ismat. Não ficou imediatamente clara a natureza dos crimes dos executados.   O regime da milícia radical islâmica do Taleban costumava promover execuções em público quando governava o Afeganistão, muitas no destroçado estádio de Cabul, mas a prática foi suspensa depois que a coalizão liderada pelos EUA derrubou o grupo do poder em 2001. A execução de domingo foi a primeira sancionada pelo governo desde abril de 2004.   O grupo de direitos humanos Anistia Internacional, baseado em Londres, denunciou a execução, dizendo que o presidente Hamid Karzai havia prometido impor uma moratória na pena capital.   O porta-voz de Karzai, Humayun Hamidzada, recusou-se a fazer comentários, alegando que haverá um anúncio na tevê estatal.   A execução em massa tende a complicar ainda mais a relação entre o governo de Karzai e alguns países da Otan que têm tropas no país. Essas tropas têm entregue milicianos feitos prisioneiros ao governo do Afeganistão, mas alguns governos não permitirão mais que isso seja feito por saberem que eles podem ser punidos com a morte.

Tudo o que sabemos sobre:
execuçõesAfeganistão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.