Afeganistão fecha jornal que publicou crítica a Karzai

O governo afegão fechou o segundo jornal maispopular do país após a publicação de uma série de artigos contendo críticas ao presidente Hamid Karzai - a mais recente repressão contra uma imprensa cada vez mais independente, depois de anos de censura.O jornal estatal Armon Mali - ou Vontade Pública - recebeu ordens na noite de sábado de suspender imediatamente sua publicação, informou hoje seu editor-chefe Mirhaidar Motahar. Segundo ele, o governo não apresentou as razões para ocancelamento da licença do jornal, que deixou 15 jornalistas e 17 outros funcionários desempregados. Mas Motahar acredita quefoi porque líderes políticos se irritaram com artigos que destacavam a frustração pública com o governo apoiado pelos EUA."As pessoas nos dizem que não estão satisfeitas com Karzai porque ele não está fazendo um bom trabalho e é isso que escrevemos", explicou. O vice-ministro da Informação Abdul Hamid Mubarrez negou que o governo tenha fechado o jornal para calar críticos. Ele alegou que centenas de jornais apareceram nos dois anos desde a derrubada do regime Taleban e, portanto, não havianecessidade de quatro diários estatais. O governo, então, decidiu fechar um deles. "Num país onde apenas 35% da população sabe ler, é demais 265 jornais", disse Mubarrez. "Então, decidimos diminuir o número".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.