Afeganistão mata civis e diz que eram talebans, acusa Beluchistão

O governo da Província de Beluchistão, sudoeste do Paquistão, afirmou nesta quinta-feira que as 16 pessoas mortas na quarta-feira pelas forças de segurança afegãs, perto da fronteira, não eram talebans e sim civis que participariam de um festival, informou a emissora "GEO". Hafiz Hamdullah, ministro provincial de Assuntos Tribais da região paquistanesa do Beluchistão, perto da fronteira afegã, disse que os 16 mortos se dirigiam a Mazar-e-Sharif, Afeganistão, para participar do festival Nauroz. Segundo o ministro, as vítimas foram detidas pelas forças afegãs e transferidas a Spin Boldak, onde foram mortas. Depois, surgiu a notícia de que teria havido um confronto. Hamdullah acusou o governo afegão de anunciar falsamente que tinham matado 16 talebans paquistaneses, que teriam atacado postos fronteiriços no Afeganistão. Fontes militares afegãs afirmaram ontem terem assassinado pelo menos 16 supostos talebans que tinham entrado em seu território vindos do Paquistão. O comandante militar na área, Abdul Razak, afirmou que o incidente ocorreu ontem à noite perto da cidade fronteiriça afegã de Spin Boldak, na província de Kandahar. Ele assegurou que "quando os talebans cruzaram a fronteira teve início uma batalha com as forças de segurança, que continuou até que vários deles, pelo menos quatro, retornaram ao Paquistão".

Agencia Estado,

23 Março 2006 | 05h34

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.