Afeganistão pede a aliados que mantenham compromisso

O presidente afegão, Hamid Karzai, pediu neste sábado, 18, em Nova Délhi aos países aliados que mantenham seu compromisso no Afeganistão e advertiu que a guerra contra o terrorismo "não pode ser ganha com dúvidas e incerteza"."Aos parceiros que possam estar ponderando seu compromisso no Afeganistão, digo que o trabalho não terminou", afirmou Karzai, cujo país sofreu este ano a pior onda de violência desde a invasão liderada pelos Estados Unidos em 2001, com mais de 3.700 mortos desde janeiro - entre os quais mil civis.As declarações foram feitas na abertura da Segunda Conferência Econômica Regional sobre o Afeganistão, que termina amanhã na capital indiana, e da qual participam representantes dos países da Ásia Central e do Sul e do G8 (os sete países mais ricos mais a Rússia).O objetivo da conferência, que acontece 11 meses após uma iniciativa similar realizada em Cabul, é reforçar a cooperação econômica regional para a reconstrução do Afeganistão, assim como as possibilidades de investimento para o setor privado em território afegão.Karzai considerou que o maior desafio para o desenvolvimento afegão e dos países vizinhos é "a ameaça do extremismo e o terrorismo", e advertiu que a estabilidade de seu país é "valiosa para toda a região".Perante os delegados internacionais e vários jornalistas indianos e estrangeiros, o presidente afegão agradeceu o "crucial" trabalho das tropas internacionais no Afeganistão que, segundo sua opinião, também contribuíram "para a segurança de toda a região".A Força de Assistência para a Segurança (Isaf), sob comando da Otan, assumiu no início de outubro o controle da segurança em todo o território afegão, com o comando de 32 mil soldados (incluindo 12 mil americanos) em todo o país.A deterioração da situação nos últimos meses, especialmente no sul do Afeganistão, reabriu em muitos países o debate público sobre a missão militar na nação, mas, segundo Karzai, a guerra que o país está "combatendo contra o terrorismo internacional não pode ser ganha com dúvidas e incerteza"."Para ganhar a guerra, precisamos da associação duradoura e sólida de aliados permanentes", ressaltou o presidente perante os representantes internacionais reunidos no centro de congressos Vigyan Bhavan de Nova Délhi.Karzai ressaltou a importância do desenvolvimento econômico para que o Afeganistão alcance a estabilidade e lembrou que nos últimos anos o intercâmbio comercial com os países vizinhos aumentou consideravelmente. "Aumentou de cerca de US$ 100 milhões anuais há cinco anos para cerca de US$ 2,5 bilhões anuais atualmente", afirmou.Na inauguração da conferência para a cooperação com o Afeganistão, o primeiro-ministro da Índia, Manmohan Singh, também discursou e expressou "preocupação" com o aumento da violência no sul afegão, afirmando que conseguir a estabilidade é "uma responsabilidade coletiva".Em um relatório publicado no início deste mês, a organização International Crisis Group ressaltou a necessidade de trabalhar pela estabilização do conflituoso sul do país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.