Afeganistão prende suspeitos promover ataque à casa da ONU

Atentado ocorreu no início da semana e deixou 12 mortos, entre eles cinco funcionários da entidade

Reuters,

31 de outubro de 2009 | 13h14

As autoridades do Afeganistão anunciaram neste sábado, 31, que prenderam oito pessoas - uma delas na Arábia Saudita - suspeita de terem relações com o atentado a uma casa da ONU no início da semana que deixou 12 mortos, entre eles cinco funcionários da entidade.

 

Veja também:

Taleban ataca ONU em Cabul; carro-bomba mata 90 pessoas no Paquistão

Oposição afegã ameaça boicotar 2º turno

 

O chefe da inteligência afegã, Amrullah Saleh, afirmou que os capturados disseram que eram do Vale do Swat, no Paquistão. Saleh disse também que o ataque foi orquestrado pela rede Haqqani, um dos principais grupos da Al-Qaeda e revelou que o líder do grupo, que levou os suicidas até o local do ataque, foi preso no aeroporto de Medina após informações dadas por guerreiros interrogados.

 

Na quarta-feira, os Talebans reivindicaram a autoria do ataque, cujo objetivo era atrapalhar os planos da ONU de realizar o segundo turno das eleições presidenciais entre o presidente Hamid Karzai e o ex-ministro de Relações Exteriores Abdullah Abdullah, a ser realizado no dia 7 de novembro.

 

O militantes, que já realizaram diversos ataques e promoveram uma onda de violência no primeiro turno, prometeram realizar atentados também na segunda rodada de votações.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.