Afeganistão substitui ópio pela maconha

Enquanto o Afeganistão se esforça para diminuir o cultivo de papoula - usada na produção de ópio e heroína - e organizações internacionais tentam encontrar alternativas de plantio, para alguns afegãos a solução foi simples: plantar Cannabis sativa, com a qual se produz haxixe e maconha.No norte do país, a Província de Balkh é apontada como maior história de sucesso no combate ao cultivo de papoula: os 7 mil hectares do plantio na região foram erradicados desde 2006. Hoje, no entanto, campos com plantação de Cannabis sativa estão modificando a paisagem local.Apesar do aparente sucesso do novo plantio, os produtores afegãos ainda estão cautelosos. ''''Não são minhas plantações e não sei quem é o dono'''', disse o afegão Shamseddin, cercado por pés de Cannabis sativa de sua altura. Outros produtores tentam justificar o plantio, afirmando que a planta serve para impedir que animais comam o cultivo de algodão. Alguns afegãos disseram ainda que o plantio foi apenas um teste. ''''Os donos de terra plantavam ópio, mas o governo veio e destruiu tudo. Este ano plantamos Cannabis. Os traficantes comprarão nosso cultivo e então veremos quanto vamos ganhar. Provavelmente não plantaremos no ano que vem'''', afirmou o trabalhador rural Mohammad Yassin.Mesmo com o plantio alternativo, o cultivo de papoula no Afeganistão bateu novo recorde este ano, e deve ser responsável por 93% da produção de ópio no mundo. Apesar de ter conseguido controlar o cultivo no norte do país - onde a situação é mais estável -, no sul, o plantio segue crescendo. No mês passado, os EUA prometeram investir até US$ 50 milhões em províncias que combaterem o plantio de papoula.

Reuters, O Estadao de S.Paulo

28 de setembro de 2007 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.