Reuters
Reuters

Afeganistão vai às urnas para eleger novo presidente

Milícia taleban ameaça atrapalhar o pleito; milhões de eleitores devem votar nesta quinta-feira

agências internacionais,

20 de agosto de 2009 | 01h20

As urnas foram abertas às 7 horas (23h30 desta quarta-feira, em Brasília). O Afeganistão promove a segunda eleição presidencial desde a queda do taleban, em 2001.  Milhões de afegãos devem comparecer em quase sete mil postos de votação para eleger o novo presidente do país e membros dos conselhos locais das províncias.

 

As eleições estão marcadas pelo boicote dos insurgentes talebans, que ameaçaram eleitores de todo o país na tentativa de desestabilizar o pleito, que para eles não passa de um "ato de propaganda" dos Estados Unidos. E ocorrem em meio ao aumento da violência do país.

 

Nova onda de violência atingiu a capital Cabul nesta quarta-feira. Soldados enfrentaram insurgentes que haviam invadido um banco localizado a algumas centenas de metros do palácio presidencial. Três insurgentes morreram.

 

O governo teme que esses atos afastem os eleitores dos postos de votação, mas o presidente, Hamid Karzai, candidato à reeleição, pediu para que todos os eleitores afegãos compareçam às urnas. O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-Moon, em declaração semelhante disse que, ao comparecerem para votar, os afegãos vão contribuir para revigorar a vida política do país.

Tudo o que sabemos sobre:
AfeganistãoeleiçõesKarzaitaleban

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.