Afegão convertido ao cristianismo deixa o país

O afegão convertido ao cristianismo Abdul Rahman, preso em seu país por renunciar ao Islã, "já se encontra na Itália", afirmou o primeiro-ministro do país, Silvio Berlusconi nesta quarta-feira. "Estamos muitos felizes de dar as boas vindas a alguém que tem sido tão corajoso", disse Berlusconi. A Itália garantiu asilo a Rahman, de 41 anos. O país possui relações próximas com o Afeganistão. O ex-rei afegão, Zaher Shah, viveu em exílio em Roma por 30 anos. A família real retornou para Cabul depois da queda do regime Talebã. Rahman foi libertado da prisão na segunda-feira depois que o tribunal dispensou as acusações contra ele por falta de provas e suspeita de insanidade. O presidente afegão, Hamid Karzai, sofreu forte pressão internacional para que o réu fosse libertado. Legisladores do Afeganistão debateram o assunto na quarta-feira e afirmaram que Rahman não deveria ter permissão para deixar o país. Contudo, eles não realizaram uma votação formal sobre a questão. Rahman foi a julgamento na semana passada por ter se convertido ao cristianismo há 16 anos, quando trabalhou para um grupo internacional cristão ajudando refugiados afegãos no Paquistão.

Agencia Estado,

29 Março 2006 | 14h37

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.