Afegãos acusam Otan de matar seis civis em ataque

Uma operação da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) numa região montanhosa do leste do Afeganistão teria matado seis civis hoje, dentre eles uma mulher e uma menina, disseram moradores de uma vila e funcionários do governo local. Mas a aliança militar disse que suas forças mataram entre quatro e oito militantes. O governador da Província de Kuna, Sayed Fazelullah Wahidi, disse que quatro homens também morreram durante os ataques aéreos da Otan. Cinco casas ficaram danificadas e uma foi destruída, segundo Wahidi e moradores da aldeia.

AE-AP, Agencia Estado

13 de abril de 2009 | 14h06

Relatos indicam que havia militantes estrangeiros na área de aldeia, dentre eles agentes da Al-Qaeda, mas o governador afirmou que os mortos durante o ataque eram civis. A Força Internacional de Assistência à Segurança da Otan (Isaf, pela sigla em inglês), disse que entre "quatro e oito combatentes inimigos" foram mortos e que interceptações de inteligência indicaram "a intenção hostil dos inimigos de atacar os postos da Isaf". Mas um porta-voz disse que há a possibilidade de civis terem ficado feridos.

"Nós lamentamos profundamente qualquer possível dano causado a civis por nossas operações contra o inimigo", disse o capitão Mark Durkin, porta-voz da Isaf. "Nós vamos investigar as acusações de ferimentos contra civis e, se forem verdadeiras, providenciaremos assistência para as pessoas afetadas."

Tudo o que sabemos sobre:
AfeganistãoOtanataque

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.