Afegãos apóiam anistia a supostos criminosos de guerra

Dezenas de milhares de simpatizantes dos senhores da guerra afegãos e importantes integrantes do governo participaram nesta sexta-feira, 23, de uma manifestação de apoio a uma proposta de anistia a afegãos suspeitos de crimes de guerra.Alguns participantes chegaram a exigir pena de morte àqueles que exigem a abertura de processos contra os senhores da guerra envolvidos em mais de um quarto de século de sucessivos combates no Afeganistão.A manifestação ocorre depois de as câmaras do Parlamento afegão terem proposto uma anistia aos líderes dos senhores da guerra, os combatentes que participaram da resistência à ocupação soviética nos anos 80 e que, na década seguinte, levaram o país a uma guerra civil, ao custo de dezenas de milhares de vidas.Cerca de 25 mil pessoas, algumas empunhando pôsteres com fotos de líderes estiveram nesta sexta no Estádio Nacional de Cabul para participar da manifestação de apoio."Qualquer um que seja contra os mujahedin é contra o Islã e é inimigo deste país", disse Abdul Rasul Sayyaf, um influente parlamentar e ex-líder dos senhores da guerra, em discurso diante da multidão de simpatizantes.Jovens participaram de passeatas pela cidade entoando gritos de "morte aos inimigos do Afeganistão" e "morte à América". Eles também gritaram "morte a Malalai Joya", uma deputada que figura entre os principais críticos de Sayyaf e de outros líderes guerrilheiros.A manifestação de hoje foi vista como uma iniciativa de ex-senhores da guerra para pressionar o presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, a sancionar a anistia.Milhares de policiais foram espalhados pela cidade para evitar distúrbios relacionados com o protesto e não foram registrados incidentes de violência no decorrer do protesto.Grupos de defesa dos direitos humanos e a Organização das Nações Unidas (ONU) denunciaram a proposta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.