Afegãos continuam abandonando o país

O fim do regime Taleban não significou o fim do desejo de muitos afegãos de deixar o país. Segundo a ONU, cerca de 3 mil pessoas chegaram, nos últimos dois dias, à fronteira com o Paquistão, buscando refúgio nos acampamentos construídos por organizações internacionais. O motivo da fuga dos afegãos de seu país já não é o ataque norte-americano, que diminuiu desde que o Taleban deixou o poder. Para os refugiados, o motivo das fugas é a péssima condição econômica em que vive a população. Segundo funcionários da ONU, após a queda do Taleban, muitos afegãos que estavam no Irã e no Paquistão voltaram às suas cidades. Mas a população logo descobriu que a situação humanitária não havia melhorado, e muitos decidiram voltar a ser refugiados nos países vizinhos. Em muitas regiões, como no sudoeste do Afeganistão, as organizações humanitárias ainda não conseguem atender à população, por falta de segurança. A conseqüência é a falta de alimentos que atinge uma parcela significativa da população afegã, uma situação que piora a cada dia com a seca que atinge o país há três anos. Diante dos novos refugiados, que viajam em média vinte dias até chegar à fronteira com o Paquistão, a ONU está sendo obrigada a montar acampamentos em Landi Kareze, a 15 quilômetros da fronteira de Chaman, que já está ocupada por mais de 30 mil pessoas. Leia o especial

Agencia Estado,

04 Janeiro 2002 | 13h17

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.