Afegãos fecham acordo para aprovar Constituição

A convenção constituinte do Afeganistão - a "loya jirga" - chegou hoje a um acordo histórico sobre a nova Carta Magna do país, depois de semanas de discrepâncias que impediram a negociação de um instrumento para dar unidade aos grupos étnicos desta nação devastada pela guerra. Falando aos 502 delegados reunidos em Cabul, o presidente da assembléia, Sibgatula Muyadedi, afirmou que acertos de último minuto garantiram um acordo geral. "Estamos muito felizes pelo fato de os membros da ´loya jirga´ terem alcançado um acordo", resumiu.Muyadedi não forneceu detalhes sobre o acordo, mas um esboço da nova Constituição que circulou entre os membros da assembléia mostrou que os dialetos das minorias do norte do país deverão seconsiderados como oficiais, um tema que havia colocado a assembléia à beira de um colapso. O presidente afegão, Hamid Karzai, e o rei Mohammed Zaher Shah planejavam se unir aos delegados ainda hoje para presenciar a ratificação oficial da Constituição, aparentemente sem a necessidade de que seja realizada uma votação final. Segundo Muyadedi, não haverá novas discussões sobre o texto e os acertos que se fizerem necessários - tais como correção de ortografia - serão realizados posteriormente.Aparentemente, a nova Constituição dará a Karzai, que é apoiado pelos Estados Unidos, um sistema presidencial centralizador. A Carta representa também um triunfo para Washington e as Nações Unidas, cujos funcionários trabalharamduro para negociar um acordo que impulsionasse o processo de paz empreendido depois que uma guerra encabeçada pelos EUA derrubou o regime Talebã há dois anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.