Afegãos não estarão sozinhos após 2014, diz Obama

Presidente dos EUA assume compromisso de manter país seguro após saída das tropas estrangeiras

estadão.com.br

19 de novembro de 2010 | 08h09

LISBOA - O presidente dos EUA, Barack Obama, garantiu nesta sexta-feira, 19, que os afegãos "não estarão sozinhos" mesmo depois de 2014, prazo previsto para o encerramento das ações militares das tropas internacionais no Afeganistão, segundo informações da agência de notícias AFP.

 

Veja também:

linkEUA enviarão tanques ao Afeganistão, diz jornal

 

As declarações de Obama foram feitas antes da cúpula da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), na qual será debatida a aproximação da aliança com a Rússia e os rumos da guerra no Afeganistão.

 

Obama defendeu a adoção de um "novo conceito estratégico" e um compromisso "duradouro para facilitar o processo de transição no Afeganistão". Para ambos os casos, o presidente americano pediu a colaboração de todos os membros da aliança militar.

 

"Esse novo conceito estratégico identifica novas ameaças das quais teremos que nos defender juntos, ameaças como o terrorismo, as atividades criminais no ciberespaço, a proliferação de armas de destruição em massa, seus meios de distribuição e outros desafios", declarou Obama.

 

Além disso, o presidente americano exortou os aliados a reafirmarem seu compromisso com o Afeganistão. "Os EUA e seus parceiros da Otan apoiam plenamente um processo de reconciliação e reintegração que busque a reincorporação na sociedade daqueles membros do Taleban que estejam de acordo com alguns pontos principais do acordo, como abandonar a violência e romper os laços com a Al-Qaeda", disse.

 

Atualmente, cerca de 150 mil soldados das forças internacionais atuam na luta contra a insurgência Taleban - quase cem mil são americanos. Obama anunciou anteriormente que a retirada das tropas teria início em julho de 2011, quando começaria o programa de transição do controle da segurança para as forças afegãs.

 

A guerra teve início em 2001, quando os EUA invadiram o país atrás do terrorista Osama bin Laden e derrubaram o regime Taleban. O apoio dos americanos à guerra, porém, caiu no decorrer dos anos por conta dos resultados questionáveis da ação militar.

 

Teme-se que os insurgentes voltem ao poder após a saída das tropas internacionais do país. Embora as operações devam ser encerradas em 2014, militares serão mantidos no Afeganistão para dar treinamento e apoio logístico às forças locais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.