África do Sul aprova distribuição de remédios contra a aids

Sob pressão para ajudar milhões de pessoas infectadas com o HIV na África do Sul, o governo aprovou hoje um plano de distribuição gratuita de remédio contra a aids para todos que precisem de tratamento. Sem especificar quando os medicamentos estarão disponíveis aos pacientes, o gabinete governamental assinou o plano, que fora apresentado pela ministra da Saúde Manto Tshabalala-Msimang. Segundo ela, o governo terá ainda um longo caminho pela frente antes de implementar a distribuição gratuita de remédios - como analisar contratos com a indústria farmacêutica, treinar profissionais, equipar centros de saúde e cadastrar os pacientes. O governo vinha se recusando a distribuir os remédios do chamado coquetel pois acreditava que a medida era muito cara e por questionar a eficácia do tratamento. Cerca de 4,7 milhões de sul-africanos, em um país com uma população de 44,2 milhões de pessoas, são portadores do HIV, o vírus que causa a aids. segundo números de organizações não-governamentais, entre 600 e 1.000 sul-africanos morrem em conseqüência da doença todos os dias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.