África do Sul empossa presidente nos 10 anos da democracia

O presidente da África do Sul, Thabo Mbeki, prestou juramento para seu segundo mandato em uma cerimônia que coincidiu com os dez anos do fim do apartheid na África do Sul. Diante de vários reis, chefes de Estado ou de governo de vários países e dezenas de milhares de pessoas concentradas diante da sede do governo em Pretória, Mbeki prometeu esforçar-se para conseguir "uma vida melhor para todos" e um país "multirracial e próspero"."Depois de ser um exemplo notório de falta de esperança, a África deve converter-se em um lugar de todas as esperanças da humanidade. Nosso país representou durante muito tempo o mais sórdido e repugnante que há na humanidade", disse. "Hoje iniciamos nossa segunda década de democracia. Estamos convencidos de que o que conseguimos durante a primeira demonstra que, como africanos, podemos e conseguiremos solucionar nossos problemas", declarou Mbeki, de 61 anos, em seu discurso de posse.Mbeki, que foi muito criticado por sua falta de atenção à epidemia de aids, que afeta 5 milhões dos 44 milhões de habitantes do país, não fez nenhuma menção à doença em seu discurso. Ele foi reeleito após as eleições gerais do dia 14, vencidas por seu partido Congresso Nacional Africano (CNA), no poder desde 1994.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.