África do Sul investiga aluguel de bebês a pedintes

Investigação foi lançada após operação que retirou 20 crianças das ruas de Pretória.

BBC Brasil, BBC

18 de agosto de 2010 | 11h21

A polícia sul-africana está investigando uma possível gangue que estaria alugando bebês de creches para pedintes.

A investigação ocorre após uma grande operação para combater o uso de crianças para mendicância na capital do país, Pretória.

Durante a operação, na sexta-feira, 20 crianças foram levadas para abrigos, mas 13 foram devolvidas depois aos pais.

A polícia confirmou à BBC que quer verificar se há uma relação com um caso semelhante ocorrido em maio em Johanesburgo.

Uma investigação da rádio 702 Talk, de Johanesburgo, verificou que alguns pais e pessoas que cuidavam das crianças estariam alugando bebês para pedintes por cerca de 20 rand por dia (cerca de R$ 4,80).

Simpatia

A mendicância é comum em cruzamentos movimentados das cidades sul-africanas.

Os pedintes costumam carregar bebês ou usar crianças pequenas para conseguir a simpatia dos motoristas e com isso receber mais doações.

A polícia em Pretória diz que as sete crianças levadas das ruas na sexta-feira e que ainda estão sob custódia são bebês com menos de um ano de idade.

"A prática parece estar aumentando, e estamos atualmente tentando descobrir por que isso acontece", afirmou à BBC Kgaofelo Malatsi, da unidade de crimes sociais da polícia de Pretória.

Segundo o departamento de saúde e desenvolvimento social da província de Gauteng, onde estão Pretória e Johanesburgo, a prioridade do governo é garantir que as crianças frequentem a escola e recebam alimentação adequada.

"Deveríamos proteger nossas crianças da exploração e de adultos que as usam para ganhos financeiros mendigando pelas esquinas", afirmou à BBC o porta-voz do departamento, Teddy Gomba.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.