Africanos pedem que ONU deponha líder marfinense

A Comunidade Econômica de Estados do Oeste da África (Ecowas, na sigla em inglês) conclamou hoje o Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) a adotar ações imediatas para obrigar Laurent Gbagbo a abandonar o poder e respeitar o resultado das eleições de novembro do ano passado na Costa do Marfim.

AE, Agência Estado

24 de março de 2011 | 16h09

A Ecowas qualificou a situação no país como uma "emergência humanitária regional" provocada pela insistência de Gbagbo em deter o poder. A entidade regional africana quer que o Conselho de Segurança supervisione a imediata transferência de poder a Alassane Ouattara, opositor de Gbagbo considerado vencedor do pleito.

Hoje, a missão da ONU em Abidjã, capital marfinense, informou que a violência pós-eleitoral no país já custou a vida de 462 pessoas nos últimos meses.

A instabilidade política toma conta da Costa do Marfim desde a derrota eleitoral de Gbagbo em 28 de novembro do ano passado. Resultados certificados pela ONU e reconhecidos como legítimos pela comunidade internacional deram a vitória a Ouattara. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.