Agência da ONU dá última chance à Coréia do Norte

O diretor da Agência Internacional de Energia Atômica (Aiea), Mohamed El-Baradei, anunciou nesta segunda-feira "mais uma chance" para a Coréia do Norte atender às exigências de monitoramento de seu programa nuclear.O Conselho da Aiea, formado por 35 países, aprovou, em Viena, uma resolução pedindo o imediato restabelecimento das medidas de contenção e vigilância das usinas nucleares e a renúncia dos programas de armas atômicas, de forma verificável.Caso a Coréia do Norte não coopere plenamente com a agência, o caso será encaminhado ao Conselho de Segurança (CS) da ONU, advertiu El-Baradei, acrescentado que espera uma resposta positiva do governo norte-coreano nos próximos dias.Em Washington, o governo do presidente George W. Bush declarou-se satisfeito com a resolução. Mas a Coréia do Norte manteve-se hoje desafiante e declarou que o escudo antimísseis em desenvolvimento pelos EUA prova a disposição de Washington de resolver pela força a crise provocada por seu programa nuclear.Os Estados Unidos anunciaram no mês passado o lançamento dos primeiros elementos de seu sistema de defesa antimísseis e o secretário norte-americano de Defesa, Donald H. Rumsfeld, acredita que o escudo terá um efeito dissuasivo contra a Coréia do Norte.A Coréia do Sul pretende apresentar aos EUA e ao Japão, durante os dois dias de conversações iniciados hoje em Washington, um plano para solucionar a crise norte-coreana. Segundo o projeto sul-coreano, Pyongyang renunciaria a suas ambições nucleares e os Estados Unidos garantiriam não atacar Pyongyang militarmente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.