Agência da ONU de alimentos diz ter déficit de US$ 750 milhões

A oscilação no preço das commoditiesajudou a aumentar o déficit do Programa Alimentar Mundial (WFP,na sigla em inglês) em doações de alimentos para 750 milhões dedólares neste ano, disse na sexta-feira a diretora executiva daagência das Nações Unidas. Em fevereiro, o WFP anunciou que precisava de doaçõesextras para ajudar a cobrir o déficit de 500 milhões de dólares-- causado pela alta nos preços de alimentos e combustível -- eevitar a queda nas doações de 2008. Desde então, os custos mais altos aumentaram o déficit,disse Josette Sheeran em um discurso em Washington, enquanto asmás colheitas e os preços crescentes intensificam a fome emdiversas regiões do mundo. O WFP recebeu algumas respostas para seu apelo deemergência, mas está procurando apoio adicional de doadores,dentre os quais os maiores são os Estados Unidos. "Nas próximas semanas, vamos enfrentar a necessidade decortar a merenda de pelo menos 400 mil crianças. Estamostirando dos recursos para o futuro na esperança de que maiorescontribuições venham", disse Sheeran. "Estamos literalmente sentando e pensando: 'E agora?' Sãoescolhas muito, muito desafiadoras", disse ela. Sheeran disse ainda que a agência teve problemas com o queparece ser uma redução nas colheitas dos fazendeiros da África-- o que se deve, em parte, à subida dos preços de insumos comofertilizantes --, tendência que só pode agravar o problema. (Reportagem de Missy Ryan) REUTERS MR FE

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.