Agência da ONU quer inspetores na Coreia do Norte, diz Kyodo

A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA, um órgão da ONU) deve re-enviar seus inspetores para a Coreia do Norte, a fim de contribuir com a desnuclearização da península coreana, disse o diretor-geral da agência, Yukiya Amano, à agência japonesa de notícias Kyodo.

REUTERS

20 de dezembro de 2011 | 09h33

A morte do líder norte-coreano, Kim Jong-il, anunciada na segunda-feira, mergulhou a região em um período de incerteza sobre a estabilidade do imprevisível regime comunista, detentor de armas nucleares.

Os inspetores da ONU foram expulsos em 2009 da Coreia do Norte, e seu regresso seria visto como um sinal de que o país aceita se desarmar.

"O re-envio de inspetores à instalação nuclear de Yongbyong é absolutamente necessária para o progresso da desnuclearização", disse ele, segundo a Kyodo.

"Já disse à sede da AIEA para ser completamente minuciosa na coleta de informações. Quero que a AIEA continue envolvida no processo."

A agência diz, no entanto, que para enviar monitores à Coreia do Norte seria preciso um acordo nesse sentido no âmbito do processo multilateral - envolvendo EUA, China, Rússia, Japão e as duas Coreias - que preveja benefícios políticos e econômicos ao Norte em troca do fim do seu programa nuclear.

(Reportagem de Rie Ishiguro)

Tudo o que sabemos sobre:
ONUAIEANORCOREIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.