REUTERS/Jorge Duenes
REUTERS/Jorge Duenes

Agência do governo Trump prende 21 em inspeção surpresa contra imigrantes ilegais

Rede de lojas 7-Eleven é alvo de operação contra contratação de imigrantes ilegais em 17 Estados

O Estado de S.Paulo

10 Janeiro 2018 | 17h52

WASHINGTON - Uma operação da Agência de Imigração e Fronteiras do governo americano (ICE, na sigla em inglês) na loja de departamentos 7-Eleven na madrugada desta quartafeira, 10, buscou imigrantes sem autorização para trabalhar. É a maior operação do tipo no governo do presidente Donald Trump, com a inspeção de 98 lojas. Ao menos 21 pessoas foram presas. 

+ Juiz bloqueia revogação de programa que protege jovens imigrantes nos EUA

“A operação de hoje envia uma mensagem forte a empresários que empregam mão de obra ilegal nos Estados Unidos. Aplicaremos a lei e os responsáveis serão punidos”, disse o diretor da agência, Thomas D. Homan.

“Esses empregadores funcionam como um ímã ilegal para imigrantes ilegais. Continuaremos nosso trabalho para proteger empregos de trabalhadores americanos e eliminar vantagens injustas obtidas por empresas que empregam ilegais", acrescentou.

O combate a empresas que empregam imigrantes ilegais era uma das promessas de campanha de Trump. Desde que ele assumiu o mandato, operações do tipo aumentaram 40%. 

Nesta manhã, lojas da 7-Eleven foram investigadas em Washington D.C. e 17 Estados. A empresa, que tem 60 mil lojas em todo mundo, não quis se pronunciar. 

+ Trump propõe a parlamentares reforma de imigração em duas etapas

Em 2013, agentes federais prenderam nove donos de franquias da 7-Eleven por fraudar identidades de seus funcionários. Os detidos na operação de hoje têm três dias para esclarecer a situação de seus empregados. /WASHINGTON POST 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.