Agência lança pacote ''Egito Renovado''

As mudanças políticas no Egito já começam a influenciar o turismo. A agência de viagem Linktour, com sede no Cairo e filial em São Paulo, oferece a partir de hoje o pacote "Egito renovado e inspiração para todos os povos". O guia, desta vez, será o próprio dono, Mohamed el-Maghraby. "Esse pacote tem um significado especial para mim, é uma homenagem ao novo Egito", emociona-se.

Damaris Giuliana, O Estado de S.Paulo

12 de fevereiro de 2011 | 00h00

El Maghraby estava ontem em São Paulo planejando levar cerca de 20 brasileiros para o Cairo, Luxor e Aswan, numa viagem de nove dias. "Não estou pensando em lucro agora. Essa é a hora certa para mostrar o Egito com cara de liberdade. Quero desmistificar o destino, mostrar a cara real do Oriente Médio, do meu país e do Islã, que está muito deturpada", afirma.

Inspiração. "O povo egípcio está reescrevendo a História. Quero que as pessoas vivam a nossa realidade", vibra o empresário.

Exatamente por isso, o destino inicial será a Praça Tahrir, que em árabe significa Praça da Libertação. "Quando os turistas estiverem lá, poderão ver que, se não estão sendo cuidados (por seus governantes), eles podem dizer não."

O passeio vai incluir o Museu Egípcio, que durante os confrontos chegou a ser invadido. Ao perceber a ação de vândalos, manifestantes que pediam a renúncia do ditador deram os braços para cercar e proteger as instalações.

"O roteiro vai fazer os viajantes sentirem que o que aconteceu não é uma vitória de hoje", promete o empresário. "O Egito é inspiração."

Procura. De acordo com a gerente comercial da agência, Patrícia el- Ansary, ontem houve uma "explosão na procura" por pacotes. Turistas foram despertados pela revolução do povo egípcio e agora desejam conhecer o país, ver de perto o que está acontecendo por lá. "Umas 15 pessoas me procuraram para montar grupos. Em geral, são escritores. Turistas com interesse especial."

Dessas, ainda segundo Patrícia, três já querem embarcar no carnaval. "Pedimos até para esperarem um pouquinho para ver como vai ficar a situação", relata. Grupos que haviam cancelado a viagem por causa do levante popular também fizeram contato.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.