Agência nuclear da ONU critica o Irã; país ameaça retaliar

O chefe da Agência Internacional de Energia atômica (AIEA) advertiu o Irã de que o tempo é curto para que o país prove nunca ter tido armas nucleares, e uma reunião da AIEA aprovou resolução censurando o Irã por protelar uma investigação internacional sobre o assunto. Irritado pelo tom dos termos adotados pela AIEA, o Irã ameaçou retaliação, sugerindo que poderá retomar o enriquecimento de urânio - processo que pode gerar combustível para usinas ou bombas atômicas.O governo dos Estados Unidos aplaudiu o texto agressivo da AIEA, aprovado por unanimidade. O subsecretário de Estado John R. Bolton disse que os termos impedirão o Irã de ?enganar e obstruir? os inspetores internacionais. A resolução afirma que, ?com o passar do tempo?, a cooperação iraniana torna-se cada vez mais importante.Autoridades dos EUA sugerem que essa escolha de palavras poderá ajudar Washington a impor um prazo final a Teerã. O texto ainda ?deplora? que a cooperação iraniana ?não tenha sido como que deveria? e nota que ?várias questões continuam sem resposta?.Numa crítica velada aos EUA, que acusam o Irã de buscar armas atômicas, o delegado iraniano Amir Zamaninia disse que o tom da declaração foi influenciado por ?alegações ilusórias e tresloucadas a respeito de um programa de armas secreto? de seu país. Ele avisou que seu país irá reconsiderar suas ?medidas voluntárias para criar confiança?, indicando uma retomada do processo de enriquecimento de urânio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.