Agência oficial e junta se contradizem sobre ex-ditador

As informações sobre o estado de saúde do ex-ditador egípcio Hosni Mubarak eram desencontradas ontem. A agência oficial "Mena" informou que ele estava "clinicamente morto" após ter sofrido um enfarte seguido de um acidente vascular cerebral (AVC). Mas, pouco depois, a junta militar desmentiu que o ex-ditador estivesse morto e disse que ele estava em coma. Mubarak foi transferido do hospital da prisão de Tora, onde cumpre prisão perpétua, para o centro médico militar de Maadi, no Cairo, depois de passar mal e ter sido reanimado com o auxílio de um desfibrilador. Mubarak tem um longo histórico de problemas cardíacos e já tinha sofrido um enfarte no mês passado, quando foi condenado. / AP

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.