Schalk van Zuydam/AP
Schalk van Zuydam/AP

Agências têm dificuldade de entregar ajuda na Somália

Cruz Vermelha e Médicos Sem Fronteiras entregaram alimentos; agência da ONU foi proibida de trabalhar

BBC Brasil, BBC

25 de julho de 2011 | 13h36

MOGADÍSCIO, SOMÁLIA - Agências de ajuda estão tendo dificuldades para entregar suprimentos aos milhões de somalis que enfrentam a fome. Um hospital em um grande campo de refugiados no Quênia, perto da fronteira com a Somália, atende os casos mais graves de desnutrição entre os somalis que conseguiram atravessar a fronteira.

 

Veja também:

linkFome mata crianças em 'estradas da morte' na África

 

A refugiada somali Roni Mohamed conta que a família fugiu da seca e foi "perseguida pelo (grupo extremista islâmico) al-Shabab". "Agora, não temos para onde voltar", diz.

Parte da ajuda internacional agora se concentra nos refugiados que conseguiram cruzar a fronteira para o Quênia ou a Etiópia, já que enviar ajuda para as vítimas da fome dentro da Somália é difícil.

O grupo islâmico Al-Shabab proibiu algumas agências de trabalhar em áreas que estão sob seu controle. O Programa Mundial de Alimentos da ONU é uma destas agências. Outras agências, como a Cruz Vermelha e Médicos sem Fronteiras ainda estão trabalhando nesses territórios.

 

BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
vídeosomáliaajudarefugiados

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.