Agente árabe-americano de Bush é barrado em vôo

Um árabe-americano, membro da segurança pessoal do presidente norte-americano George W. Bush, foi impedido de subir num avião da American Airlines que ia de Baltimore a Dallas, na terça-feira à noite. O agente, que estava armado, havia sido destacado para acompanhar o presidente a bordo do avião presidencial para Crawford, Texas, e estava em um vôo comercial por causa de uma mudança na agenda do presidente. Como um problema mecânico fez com que o vôo original do agente fosse cancelado, ele embarcou pouco antes das 17 horas no vôo 363 da American Airlines, que estava programado para partir do aeroporto de Baltimore. Ele já estava sentado quando foi abordado pelo pessoal da segurança da companhia aérea e foi solicitado a deixar a aeronave e se submenter a inspeções adicionais. Após uma demora de aproximadamente 15 minutos, durante a qual o agente foi interrogado pelo piloto do vôo, por autoridades da linha aérea e pela polícia do aeroporto, ele foi retirado do avião, mesmo depois de ter oferecido para que o Serviço Secreto confirmasse sua identidade. Foi protocolada uma queixa no Conselho sobre Relações Árabes-Islâmicas, um grupo de defesa de Washington que acompanha casos de tratamento discriminatório conforme a raça, considerando o incidente uma prova que o tratamento diferenciado de árabes-muçulmanos-americanos nos aeroportos do país aumentou desde os episódios de 11 de setembro. "Eles não enxergaram um americano, não enxergaram um profissional de aplicação da lei", disse Ibrahim Hooper, porta-voz do grupo. "Tudo o que viram foi um perfil racial e étnico que não queriam no seu vôo."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.