Agentes britânicos destroem HDs do jornal The Guardian

Segundo editor do jornal, autoridades estiveram na redação para evitar que as informações vazadas por Snowden chegassem a 'agentes chineses'

AE, Agência Estado

19 de agosto de 2013 | 20h01

Agentes britânicos destruíram discos rígidos de computadores do jornal The Guardian em uma aparente tentativa de impedir que "agentes chineses" tivessem acesso às informações vazadas pelo ex-espião norte-americano Edward Snowden ao periódico. A denúncia foi feita hoje por Alan Rusbridger, editor do Guardian, em artigo publicado na página do jornal na internet.

No artigo, Rusbridger afirma que dois agentes da GCHQ estiveram na redação do jornal para supervisionar o processo. O editor não revela explicitamente o motivo, mas dá a entender que a aparente intenção da agência britânica de espionagem seria impedir que os arquivos chegassem a "agentes chineses".

Também não está claro quando aconteceu o incidente, mas Rusbridger sugere que a destruição do número não especificado de HDs ocorreu ao longo do último mês.

A agência de espionagem denunciada pelo editor ainda não se pronunciou sobre o assunto.

O Guardian vem divulgando nos últimos meses os vazamentos de informação proporcionados pelo ex-agente norte-americano Edward Snowden.

Snowden revelou ao mundo a existência de programas ultrassecretos de espionagem que permitem aos Estados Unidos espionarem praticamente qualquer coisa que se faça na internet. Fonte: Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.