Agentes destroem 82 hectares de plantações de maconha no Paraguai

Operação entre paraguaios e brasileiros foi realizada na região fronteiriça com o Estado do Paraná

Efe

18 de setembro de 2010 | 11h45

ASSUNÇÃO - Agentes antidrogas do Brasil e do Paraguai destruíram 82 hectares de plantações de maconha no departamento de Canindeyú, no nordeste paraguaio, perto da fronteira com o País, informaram neste sábado, 18, autoridades de Assunção.

 

A Secretaria Nacional Antidrogas (Senad) do Paraguai informou em um comunicado a destruição de tais plantações durante uma jornada da operação Aliança V, que faz buscas na região, limítrofe com o Estado do Paraná.

 

Além das plantações, os agentes destruíram 15 toneladas da droga, 80 quilos de sementes, dez prensas de madeira para empacotar a maconha e acampamentos onde os cultores se abrigavam, detalha o documento, sem precisar a data de quando foi feita a operação.

 

Segundo as autoridades paraguaias, regiões dos departamentos de Canindeyú, Amambay e Concepción, todas fronteiriças com o Brasil, têm grandes quantidades de plantações de maconha. Nessa áreas, operam bandos de narcotraficantes que vendem essa droga e cocaína para os países vizinhos.

Tudo o que sabemos sobre:
narcotráficoParaguaifronteiramaconha

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.