Agentes dos EUA são acusados de envolvimento com prostituição na Colômbia

Suspeitos foram substituídos por outros membros do serviço secreto

Clarissa Mangueira,

14 de abril de 2012 | 13h28

Cartagena, 14 - O serviço secreto dos EUA está investigando alegações que agentes de segurança do presidente Barack Obama, que participa da Cúpula das América, na Colômbia, neste sábado, se envolveram com prostituição no país, reportou o The Wall Street Journal, citando uma fonte com conhecimento do assunto.

Os agentes envolvidos foram enviados de volta aos EUA e foram substituídos por outros membros do serviço secreto, afirmou o órgão em um comunicado. Segundo o serviço secreto, a má conduta dos oficiais teria ocorrido antes da chegada de Obama ao país na sexta-feira.

Ronald Kessler, autor de um livro sobre o serviço secreto, afirmou, citando fontes, que ficou sabendo que o incidente envolveu 12 agentes, incluindo um ou dois supervisores, alguns deles casados. Segundo ele, os fatos não foram confirmados pelo serviço secreto.

A prostituição é geralmente ilegal na Colômbia, mas o país possui "áreas de tolerância" onde a atividade é essencialmente ignorada pela polícia. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.