Agentes franceses brigam com guardas israelenses

Uma confusão marcou a visita de dois dias do ministro francês das Relações Exteriores, Hubert Vedrine, a Israel e aos territórios palestinos nesta terça-feira, depois de seus agentes de segurança terem brigado com guardas israelenses na disputada Jerusalém Oriental.Uma mulher que acompanhava a comitiva de Vedrine disse que o confronto ocorreu quando o ministro estava prestes a reunir-se com intelectuais e políticos palestinos em um hotel no setor tradicionalmente árabe da cidade.Israel reivindica Jerusalém Oriental como parte integrante de seu território, enquanto os palestinos querem estabelecer ali a capital de seu futuro Estado independente.A mulher pertencente ao grupo de Vedrine contou que um acordo fora feito com antecedência para que os guardas israelenses que acompanhavam a comitiva de Vedrine não entrassem no prédio. Porém, na chegada ao hotel, os israelenses tentaram entrar junto com o chanceler francês."Os israelenses tentaram entrar à força no local da reunião", disse ela, que contou a história sob condição de anonimato."Os agentes de segurança franceses bloquearam o caminho (dos israelenses). Houve alguns empurrões e socos, e os israelenses confiscaram o documento de identificação diplomática de um dos agentes franceses."Após meia hora de negociações, os israelenses recuaram, disse ela.O analista político palestino Ghassan Khatib, um dos participantes do evento, comentou que a reunião não foi afetada pelo incidente.O próprio Vedrine tinha pouco a dizer sobre a briga. "Foi um incidente totalmente desnecessário que eu até já esqueci", garantiu ele durante uma coletiva.Questionado sobre o conflito entre israelenses e palestinos, Vedrine disse que a França entende tanto as preocupações de Israel com a segurança quanto o desespero dos palestinos com relação à situação nos territórios."O terrorismo deve ser combatido. Vocês querem segurança? Então, combater o terrorismo não é o bastante. Uma solução política deve ser encontrada", concluiu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.