Agentes humanitários da ONU são seqüestrados na Somália

Grupo armado abrem fogo contra veículo durante viagem e levam britânico e queniano como reféns

Agência Estado e Associated Press,

01 de abril de 2008 | 10h36

Agentes humanitários da Organização das Nações Unidas (ONU) foram seqüestrados por desconhecidos armados no sul da Somália nesta terça-feira, 1, informaram autoridades locais e testemunhas. Mohamed Mumin, que testemunhou o seqüestro, disse ter visto seis homens armados abrirem fogo contra o veículo no qual viajavam os agentes da ONU, identificados como um britânico e um queniano. "Eu vi um homem branco sair do veículo com a perna ensangüentada, mas não deu pra saber se ele estava ferido", relatou. "O motorista (dos agentes) nos contou que os seqüestradores estavam escondidos em um carro e abriram fogo quando o veículo dos agentes humanitários se aproximou, ferindo o britânico na perna", disse Mohamed Marbuc Aden, líder de um clã local que havia conversado com os dois agentes horas mais cedo. "Eles mandaram os somalis que estavam no carro descer e fugiram com os dois estrangeiros." O comissário da cidade de Buale, Ibrahim Noleye, identificou os reféns como um britânico e um queniano que atuavam na região. De acordo com ele, a dupla foi raptada quando viajava entre Buale e Sikow, duas cidades do sul da Somália. Os agentes humanitários estavam a serviço da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, conhecida pelas iniciais em inglês FAO. Funcionários da FAO não foram encontrados para comentar o episódio.

Tudo o que sabemos sobre:
SomáliaSeqüestro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.