Agentina aprofundará políticas econômicas, diz Cristina

A presidente argentina Cristina Kirchner prometeu nesta quarta-feira expandir o programa econômico do governo e avançar nos planos para ampliar a produção de gás e petróleo.

BUENOS AIRES, Agência Estado

21 de novembro de 2013 | 03h18

Em seu primeiro discurso público após a cirurgia a que foi submetida para a retirada de um tumor no cérebro, Cristina disse que o governo iria "aprofundar" as políticas econômicas e fazer tudo o que fosse necessário para se tornar novamente autossuficiente em energia. Analistas acreditam que ela vá expandir o controle sobre a moeda e as restrições à importação nas próximas semanas.

"O objetivo é recuperar nossa soberania energética", afirmou a presidente para um grupo de jovens ativistas que se reuniu na porta de seu gabinete. "Nós vamos nos relacionar com quem precisarmos, sob os termos que forem mais favoráveis a nosso país", prometeu, em referência aos esforços da empresa estatal de petróleo YPF para encontrar um sócio internacional e revitalizar a indústria de energia argentina.

A produção de petróleo e gás no país tem despencado na última década, o que obrigou a Argentina a se tornar um importador e prejudicou as finanças do governo. A conta de importação de combustíveis cresce 25% ao ano e o país deve gastar US$ 12 bilhões apenas em 2013 para importar fontes energéticas.

No começo da semana, Kirchner promoveu mudanças em sua equipe econômica e nomeou um novo chefe de gabinete. A administração argentina enfrenta problemas com a economia em crise, dúvidas sobre a saúde da presidente e a ascensão da oposição peronista. Fonte: Dow Jones Newswires.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.