'Agitem a bandeira do socialismo com características chinesas', diz Hu

Presidente chinês pediu para os militantes do Partido trabalharem por "uma sociedade moderadamente próspera"

Efe,

15 de outubro de 2007 | 04h29

Hu Jintao, secretário-geral do Partido Comunista da China (PCCh), que governa o gigante asiático há 58 anos, pediu nesta segunda-feira, 15, aos 73 milhões de militantes e ao povo que "agitem a bandeira do socialismo com características chinesas" e trabalhem por "uma sociedade moderadamente próspera". Veja também: Começa Congresso do Partido Comunista Chinês Congresso do Partido Comunista Chinês decide os rumos do País Hu, que também é presidente da China, abriu nesta segunda-feira em nome do Comitê Central e com um discurso de 73 páginas o 17º congresso do PCCh, que será focado nas reformas estipuladas em seu interior e que definirá o plano de trabalho da monolítica formação política para a próxima meia década. Mais de dois mil membros do PCCh de todos os níveis assistem ao evento político mais importante da China a cada meia década e que deve corroborar Hu e o primeiro-ministro, Wen Jiabao, para um segundo e último mandato, até 2010. Transmitida ao vivo por todas as cadeias de televisão chinesas, emissoras de rádio e páginas de internet e na presença da imprensa estrangeira pela primeira vez, a vistosa cerimônia cumpriu o tradicional protocolo, incluindo os aplausos entre os líderes do partido. Hu destacou que o congresso seguirá as diretrizes teóricas de Deng Xiaoping e de Jiang Zemin (seu antecessor) e acrescentará o conceito de desenvolvimento científico para persistir na reforma e abertura, promover a harmonia social e lutar pela construção de uma sociedade moderadamente próspera em todos os aspectos. Zeng Qinghong é o secretário-geral do congresso, enquanto Liu Yunshan, Zhou Yongkang, He Guoqiang e Wang Gang o acompanham como subsecretários gerais. O congresso aprovará ainda o novo Comitê Central e a nova Comissão de Disciplina antes da conclusão de seus trabalhos, no final de semana, quando serão conhecidos seus integrantes, que farão parte de uma lista de candidatos preparada pelo birô político. Segundo o jornal "Diário do Povo", órgão oficial do PCCh, "o congresso, realizado em uma etapa crítica da reforma que se iniciou em 1978 e o desenvolvimento da China, é de vital importância pois traçará o trabalho para os anos próximos". "Os últimos 29 anos presenciaram a transformação da China de uma economia planificada a uma economia socialista de mercado e a melhora da vida da população, e nos últimos cinco anos se avançou muito na reforma, abertura e construção de uma sociedade modestamente acomodada de uma forma generalizada", afirmou a publicação. Segundo o jornal, o importante agora é "adaptar o marxismo às condições chinesas para promover um desenvolvimento social e econômico coordenado e sustentável para o povo, pelo povo e com o povo". O número de membros do PCCh subiu para 73,36 milhões no primeiro semestre de 2007, 6,42 milhões a mais que em 2002, com uma média de 2,4 milhões de novos membros por ano.

Tudo o que sabemos sobre:
ChinaPartido ComunistaCongresso

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.