Agora há mais coca e heroína na Colômbia

Há um número muito maior de plantações de coca - e de papoula - na Colômbia do que estimativas anteriores indicavam, disse nesta quarta-feira um funcionário da embaixada americana em Bogotá, e por isso Washington planeja aumentar sua participação na guerra local contra as drogas. "Nós havíamos subestimado a coca na Colômbia. Para qualquer lado que se olhe, há mais coca do que esperávamos", disse a um grupo de jornalistas americanos o funcionário que, seguindo as regras diplomáticas, não quer ser identificado.A declaração surge no momento em que Washington estuda a concessão de mais ajuda além do pacote de US$ 1,3 bilhão destinado ao combate aos guerrilheiros de esquerda e aos paramilitares de direita que cobram impostos sobre a produção de drogas que são exportadas para os EUA e outros países. O mais recente levantamento dos EUA, feito no final do ano passado, mostrou que 134.560 hectares de terras colombianas eram plantadas com coca - o ingrediente básico da cocaína. Complementando a informação, a polícia colombiana calcula que outros 6.120 hectares estão sendo usados para a plantação de papoulas, a matéria-prima da heroína.O funcionário ressaltou que uma grande quantidade de heroína pura tem chegado aos EUA, principalmente a Nova York e a Filadélfia.O que se deduz é que, levando-se em conta que a área efetiva de ambos os tipos de plantação é maior do que a anteriormente estimada, haverá mais trabalho para as tropas do Exército colombiano treinadas pelos EUA e para os pilotos dos aviões contratados pelo Departamento de Estado para fazer a fumigação dessas áreas plantadas. O funcionário disse ainda que o ritmo das fumigações crescerá "dramaticamente" e que a erradicação das plantações de drogas deverá atingir maiores índices dentro em breve.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.