Rodrigo Abd/AP
Rodrigo Abd/AP

Agosto foi o 1º mês sem baixas dos EUA no Iraque desde março de 2003

Mais de 4.400 soldados americanos já morreram na guerra; militares serão retirados até 2012

Agência Estado

01 Setembro 2011 | 14h00

BAGDÁ - Agosto foi o primeiro mês desde a invasão do Iraque, em março de 2003, no qual não foram registradas baixas entre as forças americanas no país, informou uma porta-voz militar nesta quinta-feira, 1º.

 

"Agosto foi o primeiro mês sem mortes hostis e mortes fora de combate, incluindo acidentes e doenças", disse a major Angela Funaro à agência France Presse por e-mail. "Temos outros dois meses (dezembro de 2009 e outubro de 2010) nos quais as forças norte-americanas não registraram mortes hostis, mas com pelo menos uma morte não relacionada a combates", disse ela.

 

O marco é registrado apenas alguns meses antes do prazo final para a saída de todas as tropas norte-americanas do Iraque, a menos que Bagdá e Washington cheguem a um acordo para a missão de treinamento militar pós-2011.

 

Antes de agosto, o mês com menor número de baixas fora dezembro de 2010, quando um soldado morreu, segundo dados do site independente www.icasualties.org. Um total de 4.474 soldados norte-americanos morreram no Iraque desde a invasão que derrubou o ditador Saddam Hussein, segundo o site.

 

Cerca de 47 mil soldados ainda estão destacados no Iraque, com a principal missão de ajudar a treinar e equipar os militares iraquianos, embora também conduzam missões de contraterrorismo.

 

Todos devem deixar o país até o final do ano de acordo com os termos do pacto de segurança de 2008, mas políticos iraquianos disseram em 3 de agosto que vão abrir negociações com Washington para que a missão de treinamento siga além de 2011. As informações são da Dow Jones.

Mais conteúdo sobre:
Iraque soldados EUA mortes guerra

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.