Vahid Salehi/AP
Vahid Salehi/AP

Ahmadinejad admite que vírus prejudicou programa nuclear iraniano

Problema teria sido resolvido; AIEA registrou interrupção do enriquecimento de urânio no país

estadão.com.br,

29 de novembro de 2010 | 18h29

TEERÃ - O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, admitiu pela primeira vez que o programa nuclear do país foi afetado por um vírus de computador. Em entrevista nesta segunda-feira, 29, Ahmadinejad disse que um número limitado de centrífugas foi afetado pelo vírus Stuxnet.  

Veja também:

especialEspecial: O programa nuclear do Irã

lista Veja as sanções já aplicadas contra o Irã

"Conseguiram nos criar problemas em um número limitado de centrífugas. Felizmente, nossos especialistas reverteram o problema", disse Ahmadinejad.

Anteriormente, o Irã havia negado que o vírus tinha afetado as centrífugas. Na semana passada, a Agência Nacional de Energia Atômica (AIEA) informou que o país havia interrompido seu programa de enriquecimento de urânio este mês por razões não identificadas.

Cientista morto

Nesta manhã, um físico nuclear foi morto na explosão de um carro-bomba em Teerã. Três outras pessoas ficaram feridas em outro atentado semelhante na cidade. A emissora disse que um dos feridos no segundo atentado também era professor de física nuclear.

O cientista morto é Majid Shahriari, da Universidade Shahid Beheshti, informou a agência estatal de notícias iraniana, a Irna. É a segunda morte de um cientista nuclear provocada por um atentado no ano - a primeira ocorreu em janeiro.

Com AP e Reuters

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.