Ahmadinejad afirma que Ocidente deve desculpas ao Irã

O presidente iraniano Mahmoud Ahmadinejad disse nesta segunda-feira que o Ocidente deve desculpas ao Irã pelas acusações de que o país estaria tentando desenvolver um programa nuclear militar. Em um pronunciamento televisivo comemorativo ao Nowruz (o ano novo iraniano), que começa na terça-feira, o presidente disse, também, que o país continuará resistindo às pressões internacionais para cancelar seu programa de energia nuclear. "Hoje eles dizem à nossa nação que a energia nuclear é algo ruim e que nosso povo não necessita dela. Mas o Irã manterá o programa", ele disse. "Aqueles que conduzem guerras e crimes acusam o Irã de buscar a guerra; eles insultam nossa nação. Eu os aconselho a pedir desculpa." O Irã insiste que seu programa nuclear é para a geração de energia. No entanto, os países ocidentais que pensam o contrário, encabeçados pelos EUA, pressionam a ONU a tomar uma medida - incluindo possíveis sanções - contra o país. Ahmadinejad reiterou que o Irã deve ser compensado pelos dois anos e meio em que seu programa nuclear foi suspenso. Sob grande pressão do Ocidente, o país suspendeu seu enriquecimento de urânio em 2003 e começou a negociar uma saída para seu desenvolvimento nuclear com as três maiores potências européias. O Irã retomou suas pesquisas nucleares no início do ano, quando as negociações falharam. "Recomendo a esses poucos Estados que compensem o dano e peçam perdão à grande nação iraniana pelo caso", disse o presidente. Representantes dos cinco países com poder de veto no Conselho de Segurança (CS) da ONU - EUA, Rússia, China, Inglaterra e França -, assim como a Alemanha, se reuniram nesta segunda-feira para superar suas diferenças e exigir um rápido relatório sobre o programa nuclear iraniano. Diplomatas disseram que a Inglaterra, juntamente com os EUA, planeja conversar, nesta segunda-feira, com o Irã sobre seu programa nuclear suspeito em um encontro altamente diplomático fora do CS. Os Estados Unidos e seus aliados europeus querem que o Irã abandone permanentemente o enriquecimento de urânio e todas as atividades nucleares.

Agencia Estado,

20 Março 2006 | 20h23

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.