Ahmadinejad afirma que sanções não evitarão enriquecimento de urânio

O presidente iraniano Mahmoud Ahmadinejad alertou o Ocidente, nesta quinta-feira, de que quaisquer sanções possíveis não impediriam seu governo de enriquecer urânio. "Vocês estão errados de achar que a nação iraniana vai parar por um momento sequer de ir em direção ao uso de energia nuclear", disse ele, falando para uma multidão em Hashtgerd, 90 quilômetros ao oeste de Teerã. Contudo, Ahmadinejad afirmou que deseja que as negociações continuem. "Estamos disposto a conversar. Podemos conversar um com o outro e remover as ambigüidades. Nós temos lógica. Queremos que as conversas continuem", disse ele. Altos diplomatas da ONU, falando sob a condição de anonimato, disseram terça-feira que o Conselho de Segurança da ONU começaria a se focar em sanções contra a republica islâmica na semana que vem. "Fazem 27 anos que ele (do Ocidente) não nos permitem usar tecnologias que ele possuem", disse o iraniano, referindo-se à quantidade de tempo que as sanções norte-americanas têm vigorado contra o Irã, desde a Revolução Islâmica de 1979 e a captura da embaixada dos EUA em Teerã. O Irã alega que seu programa nuclear é destinado somente à geração de energia, não para fins bélicos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.