Ahmadinejad ameaça abandonar AIEA

O presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, ameaçou abandonar a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) devido ao "injusto tratamento" que este reserva a alguns de seus membros e sugeriu que isto "fará com que outros países revisem sua participação" na organização."A AIEA é obrigada a ajudar os países membros para poder ter acesso à energia nuclear pacífica e à produção de combustível nuclear", disse o presidente em discurso na cidade de Shadegan, que foi retransmitido pela televisão pública."Apesar de o Irã ter sido um dos primeiros países a se tornar membro da AIEA, infelizmente este organismo não ofereceu nenhuma ponta de ajuda ou de apoio técnico, científico ou jurídico a nosso país", afirmou o presidente ultraconservador."Este tipo de tratamento injusto da AIEA fará com que outros países não se tornem membros do organismo ou que revisem sua participação, já que a mensagem que recebem é que não devem ingressar no organismo", advertiu. Ahmadinejad afirmou também que a atuação da AIEA encorajará alguns países a "atuar na clandestinidade", sem dar mais detalhes.Em 23 de dezembro, o Conselho de Segurança da ONU aprovou a resolução 1737 com a qual ameaça o Irã com sanções se não suspender, "no prazo de 60 dias", seus projetos para enriquecer urânio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.